Vacina de Oxford é segura e gerou resposta imune contra covid-19

By 21 de julho de 2020 Releases No Comments
Vacina Covid

A vacina de Oxford junto da biofarmacêutica AstraZeneca apresentou bons resultados em seu estudo randômico, onde um grupo de controle recebeu uma vacina de meningite e o outro não soube qual medicamento foi administrado. A vacina apresentou poucos efeitos colaterais que puderam ser reduzidos com paracetamol, como fadiga, dores de cabeça, dor muscular, calafrios e febre leve. O estudo foi postado na revista científica The Lancet.

Está vacina é uma das três opções que estão na fase 3 de testes de acordo com a OMS, de acordo com o estudo a vacina pode ser mais eficaz quando for administrada uma segunda dose. Outros estudos ainda devem ser feitos incluindo os grupos de risco da doença para garantir a segurança da vacina.

Quais são as  fases de uma vacina?

Para uma vacina ser aprovada e distribuída, ela precisa passar por três fases de testes. A fase 1 é a inicial, quando as empresas tentam comprovar a segurança em seres humanos; a segunda é a fase que tenta estabelecer que a vacina produz imunidade contra um vírus, já a fase 3 é a última fase do estudo e tenta demonstrar a eficácia da droga. Uma vacina é finalmente disponibilizada para a população quando essa fase é finalizada e a proteção recebe um registro sanitário. Por fim, na fase 4, a vacina é disponibilizado para a população.

As outras que também estão na na fase três de testes são as versões da Moderna e a da Sinovac, que também será testada no Brasil. De acordo com a OMS a vacina de Oxford é a opção mais avançada. Para a reitora da Unifesp, Soraia Smaili, a vacina de Oxford pode ser distribuída no Brasil a partir de junho de 2021, assim que o registro emergencial dela for aprovado. 

A corrida pela cura

Nunca antes houve um esforço tão grande para a produção de uma vacina, algumas empresas anunciam que a vacina estará pronta no fim do ano ou no início de 2021, porém, se levarmos em o tempo da vacina do Ebola, considerada a vacina mais rápida a ser produzida, demorou cinco anos para ficar pronta.

Uma pesquisa aponta que as chances de prováveis candidatas para uma vacina dar certo é de 6 a cada 100 e a produção pode levar até 10,7 anos. Para a covid-19, as farmacêuticas e companhias em geral estão literalmente correndo atrás de uma solução rápida e até agora nenhum medicamento ou vacina contra a covid-19 foi aprovado para uso regular, de modo que todos os tratamentos são considerados experimentais.

Fonte:

Exame;

Leave a Reply